Pular para o conteúdo principal

Nossa Senhora das Dores



    A Igreja celebra a memória de Nossa Senhora das Dores. Mas porque celebrar as dores vividas por Maria? Não seria isto enfatizar uma visão pessimista da caminhada terrena de Maria? Com certeza não!

     Muitas vezes somos influenciados a ter uma ideia de Maria, tão excelsa, salientado sua concepção imaculada, sua vida imaculada, sua entrega plena a Deus, de uma forma tão excelsa que quase a colocamos numa classe angélica; classe que ela não pertence. Maria, é sem dúvida, como afirma a Igreja, sem mácula, concebida sem pecado, sempre virgem, mas humana como nós, igual a nós em tudo exceto no pecado, do qual ela foi preservada em virtude dos méritos de Cristo. Ela não faz parte da hierarquia angélica. Ela é rainha dos anjos, mas não um anjo. Ela é humana! Viveu neste mundo as alegrias, mas também os dramas e conflitos que comportam a existência humana. Vemos isto presente muito claro nos evangelhos. Quando olhamos para a vida de Maria revelada pelos evangelhos, vemos uma jovem judia, humana. E aí está a grande beleza e ensinamento que sua vida nos traz. Maria, humana, nos revela que é possível ser todo de Deus, que é possível entregar a ele a nossa vida como um todo. E na nossa humanidade, irmos ao encontro de Deus.

    A dor, o sofrimento, ela faz parte da experiência humana, e tentar amputá-la, seria tentar arrancar algo que está na nossa realidade. É algo impossível! O homem entra no mundo já fazendo a experiência da dor. A criança ao nascer, sai do ventre de sua mãe chorando. E durante toda nossa existência passaremos por esta experiência de sofrimento, de dor, seja a nível físico, seja a nível psíquico, seja a nível espiritual.

    Não é geralmente em meio a experiência da alegria e do gozo, que perecemos na fé. Mas em meio aos sofrimentos, as dores, as provas que Deus nos permite passar. O que está ao nosso alcance, o que podemos fazer, é dar sentido ao sofrimento que passamos. Não vivendo-o na perspectiva da revolta, da resignação, mas da oferta a Deus

    Maria a Virgem Dolorosa, nos ensina que toda experiência humana, seja de gozo ou de dor pode ser teofânica, pode ser lugar teológico, lugar onde Deus se manifesta, onde Deus se dá a conhecer, lugar onde ele revela sua luz, mesmo que tudo pareça treva. Este é o mistério que a Igreja nos convida a celebrar na liturgia.

   Maria, de pé na Cruz (Cf. Jo 19,25), nos mostra que é possível significar o sofrimento, dar sentido àquilo que pela razão, parece nada mais nada menos que um absurdo. Não celebramos somente as dores de Maria, mas a dor como oferta a Deus, como oração, como sacrifício ao Senhor, como lugar de encontro do imanente com o transcendente. Do homem com Deus. 






Por Padre João Evangelista, sjs 

Prior Local e Reitor do Seminário Nossa Senhora de Pentecostes da Fraternidade Jesus Salvador.

Sacerdote Salvista do IMSJS

Formado em Filosofia e Teologia.

Comentários

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

“Nós vos tomamos como modelo perfeito de Louvor a Deus”

"Nós vos tomamos como modelo perfeito de Louvor a Deus”, isso dizemos a Maria todos os dias. Em nossa Fraternidade a Virgem Maria é um dos pilares, nós a veneramos sob o título de Nossa Senhora de Pentecostes, ela é nossa Padroeira-Mor.  A ela recorremos venerando-a no ícone posto sobre o Presbitério de nossa Capela da Casa de Formação do Instituto Servos de Jesus Salvador, e a partir deste em todos os outros que o representam.  Este ícone inspirado a nosso Pai-Fundador, Padre Gilberto e elaborado por outro Padre, Fúlvio o iconógrafo, é o único no mundo, não se trata portanto de alguma cópia. O ícone remonta a tradição oriental, diferente de nossas imagens tridimensionais, e em todos os seus detalhes estão presentes as características profundas e dignas de imitação daquele que nele é pintado. 

No ícone de Nossa Senhora de Pentecostes sobre o fundo dourado, tendo as labaredas de fogo ao alto e os apóstolos aos pés, está Maria, Mãe de Deus e sempre Virgem, antes, durante e depois do p…

(NOVENA) Nossa Senhora de Pentecostes

9o. Dia
Antífona - Todos: Á vossa proteção recorremos, Santa Mãe de Deus, não desprezeis as nossas suplicas em nossas necessidades, mas livrai-nos sempre de todos os perigos, ó Virgem gloriosa e bendita.

Intenção: PELA FRATERNIDADE JESUS SALVADOR
Leitor: Ó Senhora de Pentecostes, a quem foi confiado o patrocínio da Fraternidade Jesus Salvador, fazei com que esta Obra, suscitada por Deus na sua Igreja, seja fiel ao espírito de seu fundador, às sua intenções evangélicas, e ao exemplo de sua santidade. E constantemente atenta aos sinais dos tempos, deseje que se perpetue, através dela em sua existência, o derramamento do Espírito Santo, como um Novo Pentecostes. Que no coração da Igreja, Esposa de Cristo, sejamos a pura expressão do contínuo culto de louvor e adoração a Nosso Senhor Jesus Cristo, para que, por meio de nossa consagração, possamos produzir frutos de santidade na humanidade. Que todos nós, servos e servas de Javé Salvador, fiéis a nossa verdadeira e única missão, preguemos o e…

Brasil: "Há mil formas de evangelizar os jovens"

Estamos perdendo nossos jovens fiéis hoje em dia nas escolas, universidades e no âmbito profissional, enquanto as seitas estão cheias de adolescentes, afirma Dom Carlos Verzeletti, bispo da diocese de Castanhal (Estado do Pará, nordeste do Brasil).
Em recente visita à entidade assistencial Ajuda à Igreja que Sofre, na Alemanha, o bispo disse que «no entanto, os bispos brasileiros estão agora convencidos de que há mil formas de evangelizar os jovens». Neste sentido, enfatizou na importância dos novos movimentos eclesiais.
De fato, a CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil) dedicou sua Assembléia Geral passada, que se realizou em maio, a discutir o tema da evangelização da juventude.


Os bispos formataram um subsídio, um estudo, que agora circula pelas paróquias, pelos grupos e comunidades. Após o texto fermentar com novas idéias, retornará às instâncias episcopais responsáveis em âmbito nacional.
Só então um documento oficial sobre a evangelização da juventude deve ser publicado pel…