domingo, 18 de setembro de 2011

Bote Fé: Missa acolhe Cruz da JMJ e ícone de Maria no Brasil

Ícone de Nossa Senhora e Cruz da JMJ chegam ao Campo de Marte. Abaixo, parte dos cerca de 100 mil jovens que participaram do evento
A grande festa de acolhida dos dois símbolos máximos daJornada Mundial da Juventude (JMJ) - a Cruz e o ícone de Nossa Senhora - chegou ao seu cume com a celebração da Santa Missa, na tarde deste domingo, 18, a partir das 16h. OBote Fé reuniu 100 mil jovens no Aeroporto Militar de Campo de Marte, em São Paulo, segundo estimativas da Aeronáutica.

O presidente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) e Arcebispo de Aparecida, Cardeal Dom Raymundo Damasceno Assis, recordou, ao início da Missa, que o tema escolhido pelo Papa Bento XVI para a Jornada no Rio de Janeiro - “Ide e façais discípulos em todos os povos!” (Mt 28, 19) - é uma convocação.

"A Igreja coloca nas mãos de vocês um desafio: seguir Jesus e anunciá-Lo pela Palavra. A Cruz é sinal do compromisso em seguir o Mestre. Sem ela, não há ressurreição. Com Ele, venceremos. E Maria é modelo perfeito desse seguimento. Que sua juventude eterna nos encoraje a seguirmos o testemunho de Seu Filho. Vocês, jovens, são sentinelas do amanhã, a riqueza da Igreja no Brasil", declarou.

Já o Núncio Apostólico no Brasil, Dom Lorenzo Baldisseri, representante oficial do Papa no evento, recordou que, na Cruz, é o próprio Cristo que passa. "É Cristo que dá novo ânimo à fidelidade na missão. Ele impulsiona a dar testemunho da fé. É impossível encontrar a Cristo e não mostrá-lo aos outros. Comunicai aos outros a alegria da vossa fé. O Papa dá a vocês a missão de serem protagonistas da bonita aventura de levar esses ícones da fé. Abracem o desejo da Cruz e desenvolvam a alegria de viver e alcançar felicidade", afirmou.

Participaram da celebração, além do presidente da CNBB e do Núncio Apostólico, o Arcebispo Emérito de São Paulo, Cardeal Dom Cláudio Hummes; o Arcebispo do Rio de Janeiro (RJ), Dom Orani João Tempesta; o Bispo Auxiliar de Campo Grande (MS) e presidente da Comissão Episcopal Pastoral para a Juventude da CNBB, Dom Eduardo Pinheiro; o ministro da Secretaria-Geral da Presidência da República, Gilberto Carvalho, representando a presidente Dilma Rousseff; o prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, e diversas outras autoridades dos Poderes Executivo, Legislativo, Judiciário, sacerdotes, diáconos, religiosos, religiosas e diversas outras autoridades eclesiásticas.

Símbolos máximos das Jornadas Mundiais da Juventude iniciam peregrinação pelo Brasil. Abaixo, presidente da CNBB, Dom Raymundo Damasceno, o Arcebispo de São Paulo, Cardeal Odilo Scherer, e o Núncio Apostólico no Brasil, Dom Lorenzo Baldisseri
Homilia

"Vos reunistes para acolher no sinal da cruz o próprio Jesus, que vem ao nosso encontro, e também o ícone da Virgem Maria, Sua Mãe e nossa Mãe. Nós nos gloriamos na cruz de Nosso Senhor Jesus Cristo. N'Ele está a nossa vida e ressurreição. Foi ele que nos salvou e libertou", proclamou o Arcebispo de São Paulo, Cardeal Dom Odilo Pedro Scherer, durante a homilia da celebração.
Ele questionou: Por que nos gloriamos da Cruz de Cristo? "Para nós, a cruz sempre é a pessoa do próprio Jesus. A Cruz lembra que Deus tanto amou o mundo a ponto de entregar seu filho único. Lembra ainda que Jesus, como Filho de Deus, esvaziou-se de Sua glória para vir a nós, fez-se humilde e solidário à humanidade e colocou-se ao lado de cada homem, especialmente ao lado do que mais sofre e parece não valer mais nada aos olhos do mundo", indicou o Cardeal.

Dom Odilo recordou que, quando o Beato 
João Paulo II entregou a Cruz Peregrina aos jovens, em 1984, para que fosse levá-la ao mundo como sinal da presença de Jesus, recomendou que anunciassem que só na Cruz há esperança de redenção e vida. Depois, em 2003, entregou também o ícone de Nossa Senhora, pois junto da Cruz está sempre a Mãe de Jesus e, onde estão reunidos os irmãos de Jesus em seu nome, lá também está presente Sua Mãe.

"Acolhamos, pois, em todas as partes do Brasil, esta Cruz peregrina e o ícone de Nossa Senhora, como se fosse a visita do próprio Jesus e de Sua Mãe, que neles são lembrados. Que nesta JMJ no Rio de Janeiro, em 2013, Jesus missionário e Nossa Senhora da Visitação possam ir ao encontro dos jovens em centenas de comunidades e cidades do país e capitais dos países do Conesul", salientou o Arcebispo de São Paulo.

Este tempo de peregrinação dos símbolos da JMJ será um tempo cheio das graças de Deus, favorável à evangelização e para envolver jovens na vida e missão da Igreja. "Levemos muitos outros a Cristo, como fizerem os apóstolos e tantos outros antes de nós. Sejamos discípulos e missionários, contagiemos os outros com entusiasmo, alegria e firmeza da fé. Anunciemos Jesus aos outros jovens do Brasil, ajudando-os a encontrar o Salvador. Para toda a Igreja no Brasil, este é o tempo favorável para promover a nova evangelização e transmitir patrimônio da fé às novas gerações", ressaltou.

Por fim, disse: "O Brasil está recebendo um carinho muito especial de Deus com este período de preparação para a JMJ 2013. Que seja um tempo de encontros marcantes com Cristo e de descoberta da herança apostólica, guardada, vivida e transmitida pela Igreja de geração em geração e que, hoje, vai passando às mãos de vocês, caríssimos jovens. Bem-vindo a nós, Jesus Cristo Missionário. Bem-vinda a nós, Nossa Senhora da Visitação. Os jovens do Brasil os acolhem de braços abertos". 


Bote Fé

Milhares de jovens vindos de todos os cantos do país participam do 
Bote Féa grande festa de acolhida dos dois símbolos máximos do maior evento mundial da juventude católica: a Cruz e o ícone mariano das JMJ, enviados com antecedência pelo Vaticano ao país que receberá o encontro. O evento na capital paulista reúne evangelização, música e arte ao longo de todo o dia e é organizado pela Arquidiocese de São Paulo e pela 
Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB)


Peregrinação

A Cruz e o Ícone vão percorrer 275 dioceses no Brasil até a vinda do Papa 
Bento XVI, em julho de 2013, para a Jornada Mundial da Juventude no Rio de Janeiro. Os símbolos da Jornada devem passar por todos os 17 regionais da CNBB. Também estão previstas 19 grandes festas nas capitais brasileiras, todas com o nome "Bote Fé".

Em dezembro de 2012, a Cruz e o Ícone deixam o Brasil e visitam Paraguai, Uruguai, Chile e Argentina; retornam em janeiro de 2013 para o sul do Brasil. A etapa final acontecerá no sul de Minas Gerais, no Vale do Paraíba (SP) e, finalmente, no Estado do Rio de Janeiro, onde chegam em abril de 2013.


Nenhum comentário:

Postar um comentário