Pular para o conteúdo principal

A Solenidade de Pentecostes

      No dia 12 de Junho deste ano a Igreja comemora a Solenidade de Pentecostes. Para melhor compreendermos esta celebração, faz-se necessário entendermos a sua origem e seu sentido. Pentecostes, em grego, significa qüinquagésimo, o 50º dia. A Festa de Pentecostes é de origem judaica. Ela corresponde à festa das Semanas, Shavuot (semanas em hebraico). Era celebrada sete semanas depois da Páscoa (7 x 7 = 49). Shavuot é uma das festas de peregrinação, momento onde o povo judeu ia ao Templo ofertar a Deus as Primícias da Colheita, cumprindo o preceito divino: “Contareis cinquenta dias até até o dia seguinte ao sétimo sábado e oferecereis então a Javé uma nova oblação” (Lv,23,15-16). Quando o templo de Jerusalém foi destruído, a festa de pentecostes perdeu seu caráter agrícola e passou a acentuar seu caráter histórico. Celebravam então neste dia o “dom da Torá”, dia em que Deus concluiu com seu povo por meio de Moisés a Aliança no Sinai, dando a este povo a Sua Lei, a Sua Palavra.  Para o judeu, há uma íntima relação entre a Páscoa (Pessach) e Pentecostes (Shavuot), pois expressam uma lógica teológica: o reconhecimento de Deus como benfeitor da terra e como Senhor da história.

       Na plenitude dos tempos, o Pai nos envia o Seu Filho único, para Nele, realizar a sua obra redentora de reconciliar consigo toda humanidade. Jesus em sua paixão, morte e ressurreição, ou seja, no seu mistério pascal, nos introduz no reino da graça. O Cristo sabia que chegaria a hora em que Ele passaria deste mundo para o Pai, após cumprir a sua missão. Contudo, disse o Senhor: “rogarei ao Pai, e Ele vos dará um outro Paráclito, para que convosco permaneça para sempre, o Espírito da Verdade”(Jo 14,16-17). Vemos aqui nestes versículos a promessa de Jesus, de enviar-nos o seu Espírito. “O Paráclito, o Espírito Santo que o Pai enviará em meu nome, vos ensinará tudo o que vos disse”(Jo 14,26). O Espírito prometido por Jesus tem a missão de nos revelar de forma profunda quem é Jesus, qual a sua obra e sua missão. É pelo Espírito que temos acesso a essa graça.

       Celebrar Pentecostes para nós cristãos é celebrar o cumprimento da promessa de envio do Espírito, aquele momento em que, “tendo completado o dia de Pentecostes, estavam todos reunidos no mesmo lugar. De repente, veio do céu um ruído como o agitar-se de um vendaval impetuoso, que encheu toda casa onde se encontravam. Apareceu-lhes, então, línguas como de fogo, que se repartiam e que pousaram sobre cada um deles. E  todos ficaram repletos do Espírito Santo (At 2, 1-4). A missão salvífica de Jesus sintetiza-se e cumpre-se na comunicação do Espírito Santo aos homens, para os reconduzir ao Pai. Esta é a obra da terceira pessoa da Santíssima Trindade:  tornar presente o Senhor Ressuscitado, e com Ele, o Pai. O Espírito do Filho nos dá a graça de termos os mesmos sentimentos de Cristo, e de amarmos como Ele amou, a ponto de oferecer a vida pelos irmãos. Ao comunicar-nos o seu Espírito, Cristo entra na nossa vida, para que cada um de nós possa dizer como Paulo: “Já não sou eu que vivo, é Cristo que vive em mim” (Gl 2,20). Assim, toda a vida se torna uma Páscoa contínua, uma incessante passagem da morte para a vida, até à Páscoa derradeira, quando passaremos também nós, com Jesus e como Jesus, “deste mundo para o Pai” (Jo 13,1).Portanto caríssimos irmãos, peçamos com toda Igreja neste tempo propício, um novo derramamento do Espírito em nossos corações, tornando atual em nossas vidas a graça de nosso batismo sacramental.


Por Padre João Evangelista, sjs 

Prior Local e Reitor do Seminário Nossa Senhora de Pentecostes da Fraternidade Jesus Salvador.

Sacerdote Salvista do IMSJS

Formado em Filosofia e Teologia.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

“Nós vos tomamos como modelo perfeito de Louvor a Deus”

"Nós vos tomamos como modelo perfeito de Louvor a Deus”, isso dizemos a Maria todos os dias. Em nossa Fraternidade a Virgem Maria é um dos pilares, nós a veneramos sob o título de Nossa Senhora de Pentecostes, ela é nossa Padroeira-Mor.  A ela recorremos venerando-a no ícone posto sobre o Presbitério de nossa Capela da Casa de Formação do Instituto Servos de Jesus Salvador, e a partir deste em todos os outros que o representam.  Este ícone inspirado a nosso Pai-Fundador, Padre Gilberto e elaborado por outro Padre, Fúlvio o iconógrafo, é o único no mundo, não se trata portanto de alguma cópia. O ícone remonta a tradição oriental, diferente de nossas imagens tridimensionais, e em todos os seus detalhes estão presentes as características profundas e dignas de imitação daquele que nele é pintado. 

No ícone de Nossa Senhora de Pentecostes sobre o fundo dourado, tendo as labaredas de fogo ao alto e os apóstolos aos pés, está Maria, Mãe de Deus e sempre Virgem, antes, durante e depois do p…

(NOVENA) Nossa Senhora de Pentecostes

9o. Dia
Antífona - Todos: Á vossa proteção recorremos, Santa Mãe de Deus, não desprezeis as nossas suplicas em nossas necessidades, mas livrai-nos sempre de todos os perigos, ó Virgem gloriosa e bendita.

Intenção: PELA FRATERNIDADE JESUS SALVADOR
Leitor: Ó Senhora de Pentecostes, a quem foi confiado o patrocínio da Fraternidade Jesus Salvador, fazei com que esta Obra, suscitada por Deus na sua Igreja, seja fiel ao espírito de seu fundador, às sua intenções evangélicas, e ao exemplo de sua santidade. E constantemente atenta aos sinais dos tempos, deseje que se perpetue, através dela em sua existência, o derramamento do Espírito Santo, como um Novo Pentecostes. Que no coração da Igreja, Esposa de Cristo, sejamos a pura expressão do contínuo culto de louvor e adoração a Nosso Senhor Jesus Cristo, para que, por meio de nossa consagração, possamos produzir frutos de santidade na humanidade. Que todos nós, servos e servas de Javé Salvador, fiéis a nossa verdadeira e única missão, preguemos o e…

Brasil: "Há mil formas de evangelizar os jovens"

Estamos perdendo nossos jovens fiéis hoje em dia nas escolas, universidades e no âmbito profissional, enquanto as seitas estão cheias de adolescentes, afirma Dom Carlos Verzeletti, bispo da diocese de Castanhal (Estado do Pará, nordeste do Brasil).
Em recente visita à entidade assistencial Ajuda à Igreja que Sofre, na Alemanha, o bispo disse que «no entanto, os bispos brasileiros estão agora convencidos de que há mil formas de evangelizar os jovens». Neste sentido, enfatizou na importância dos novos movimentos eclesiais.
De fato, a CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil) dedicou sua Assembléia Geral passada, que se realizou em maio, a discutir o tema da evangelização da juventude.


Os bispos formataram um subsídio, um estudo, que agora circula pelas paróquias, pelos grupos e comunidades. Após o texto fermentar com novas idéias, retornará às instâncias episcopais responsáveis em âmbito nacional.
Só então um documento oficial sobre a evangelização da juventude deve ser publicado pel…