Pular para o conteúdo principal

Maria modelo para os eleitos

     O termo vocação se origina da palavra latina “vocare” e significa chamado. A teologia da vocação é parte integrante da mensagem cristã e tem o seu fundamento nas Sagradas Escrituras. As Sagradas Escrituras nos apresentam a face do Deus que chama, no decorrer da história, homens e mulheres para colaborarem no projeto de salvação que Ele tem para a humanidade. Deus age por meio de mediações humanas. Ele poderia ter feito tudo sozinho, mas preferiu esta forma de se manifestar aos seus. 
    Um chamado envolve sempre duas dimensões: aquele que chama e aquele que ouve o chamado. Foi assim com Abraão, quando Deus diz: sai da tua terra e vai para a terra que eu te mostrar... (Gn 12,1-6). Foi assim com os juízes, com os reis, com os profetas, com Maria Santíssima, com os discípulos e também conosco, pois Deus continua a chamar pessoas, que foram eleitas desde toda eternidade para ‘estar com Deus’ e ‘servir a Deus’.
    O primeiro chamado é para estarmos com Deus e, posteriormente, servirmos a Ele. Foi esta pedagogia que Jesus usou com aqueles que ele chama para junto de si. Cristo chama Pedro, Tiago, João, Felipe... e os demais discípulos para serem primeiramente discípulos, estarem aos pés do Mestre, ouvir dele suas palavras, serem formados por Ele. Somente depois de passarem por esta formação com o Divino Mestre, que se tornarão apóstolos, ou seja, que serão enviados.
        As Sagradas Escrituras nos apresentam, dentre todos os personagens bíblicos que acolhem o chamado, a vontade de Deus em suas vidas, uma que se destaca de modo singular, é ela: Maria, Mãe de Deus e nossa Mãe. Para nós, Maria é alguém exemplar em tudo. Ela é aquela que ousou lançar-se em Deus, sem reservas e sem limitações.  Maria é aquela que pode ser chamada por excelência a “serva do Senhor”. Toda vida de Maria foi um sim a Deus. O próprio Arcanjo São Gabriel se refere a Ela como a Kekaritomene, “a cheia de graça”, aquela que é “repleta dos favores divinos”. É uma maneira do evangelista São Lucas afirmar que Maria era repleta da comunhão com o Altíssimo. Tudo nela é graça! Maria, com seu sim a Deus, com seu “Fiat”, possibilitou a encarnação do Verbo de Deus; a Sua entrada no mundo, para que, fazendo-se homem, pudéssemos ser elevados à comunhão com o Pai. Ele, por Maria, faz-se homem para nos tornar participantes da vida divina. Maria é aquela que colabora diretamente para que o projeto salvífico do Pai, em Cristo, se cumpra plenamente. O seu sim foi mantido e acentuado em toda sua vida até o calvário, onde oferece seu Filho, o Cristo, que se ofertava inteiramente a Deus por nossa salvação. Maria ensina aos homens de hoje a entrar no mistério de Cristo, querer operar a salvação. Ela nos ensina a nos desprendermos de nós mesmos para irmos ao encontro do outro, sermos na vida do outro canal de salvação. Deus quis que através do sim de Maria, a salvação que é seu Filho, chegasse a toda a humanidade.
      Diz Santo Irineu: “O que não foi assumido não pode ser redimido”. Podemos concluir desta afirmação de Santo Irineu que só nos foi possível a salvação, a nossa redenção, porque Ele se fez um de nós. O mistério de Cristo, sua missão, está ligado ao sim de Maria, que possibilita que Cristo entre na realidade humana de forma plena.
     Em Maria contemplamos o mistério do chamado divino, o mistério do Deus que chama, que elege pessoas para colaborarem na sua obra salvífica.  Maria é modelo para todo vocacionado, pois ela também viveu de forma profunda a sua vocação. Vemos nela uma resposta pronta, imediata ao chamado de Deus. Uma adesão exemplar como a de Maria se torna paradigma para todo vocacionado que sente ecoar também no seu coração o chamado de Deus a uma vocação específica. Que por meio de Maria, ela que se coloca diante de Jesus como nossa intercessora (cf. Jo 2), possamos também dar a Deus um “sim” que seja pleno, um “Fiat” que seja total, sabendo que a vontade de Deus, mesmo com as cruzes que o seu cumprimento comporta, será sempre a nossa fonte, canal de salvação. Voltemo-nos para Maria, certos de que seu exemplo é força propulsora que nos eleva a Deus. Sendo ela a eleita do Senhor, é, sem dúvida, modelo para todos os eleitos.






Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

“Nós vos tomamos como modelo perfeito de Louvor a Deus”

"Nós vos tomamos como modelo perfeito de Louvor a Deus”, isso dizemos a Maria todos os dias. Em nossa Fraternidade a Virgem Maria é um dos pilares, nós a veneramos sob o título de Nossa Senhora de Pentecostes, ela é nossa Padroeira-Mor.  A ela recorremos venerando-a no ícone posto sobre o Presbitério de nossa Capela da Casa de Formação do Instituto Servos de Jesus Salvador, e a partir deste em todos os outros que o representam.  Este ícone inspirado a nosso Pai-Fundador, Padre Gilberto e elaborado por outro Padre, Fúlvio o iconógrafo, é o único no mundo, não se trata portanto de alguma cópia. O ícone remonta a tradição oriental, diferente de nossas imagens tridimensionais, e em todos os seus detalhes estão presentes as características profundas e dignas de imitação daquele que nele é pintado. 

No ícone de Nossa Senhora de Pentecostes sobre o fundo dourado, tendo as labaredas de fogo ao alto e os apóstolos aos pés, está Maria, Mãe de Deus e sempre Virgem, antes, durante e depois do p…

(NOVENA) Nossa Senhora de Pentecostes

9o. Dia
Antífona - Todos: Á vossa proteção recorremos, Santa Mãe de Deus, não desprezeis as nossas suplicas em nossas necessidades, mas livrai-nos sempre de todos os perigos, ó Virgem gloriosa e bendita.

Intenção: PELA FRATERNIDADE JESUS SALVADOR
Leitor: Ó Senhora de Pentecostes, a quem foi confiado o patrocínio da Fraternidade Jesus Salvador, fazei com que esta Obra, suscitada por Deus na sua Igreja, seja fiel ao espírito de seu fundador, às sua intenções evangélicas, e ao exemplo de sua santidade. E constantemente atenta aos sinais dos tempos, deseje que se perpetue, através dela em sua existência, o derramamento do Espírito Santo, como um Novo Pentecostes. Que no coração da Igreja, Esposa de Cristo, sejamos a pura expressão do contínuo culto de louvor e adoração a Nosso Senhor Jesus Cristo, para que, por meio de nossa consagração, possamos produzir frutos de santidade na humanidade. Que todos nós, servos e servas de Javé Salvador, fiéis a nossa verdadeira e única missão, preguemos o e…

Brasil: "Há mil formas de evangelizar os jovens"

Estamos perdendo nossos jovens fiéis hoje em dia nas escolas, universidades e no âmbito profissional, enquanto as seitas estão cheias de adolescentes, afirma Dom Carlos Verzeletti, bispo da diocese de Castanhal (Estado do Pará, nordeste do Brasil).
Em recente visita à entidade assistencial Ajuda à Igreja que Sofre, na Alemanha, o bispo disse que «no entanto, os bispos brasileiros estão agora convencidos de que há mil formas de evangelizar os jovens». Neste sentido, enfatizou na importância dos novos movimentos eclesiais.
De fato, a CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil) dedicou sua Assembléia Geral passada, que se realizou em maio, a discutir o tema da evangelização da juventude.


Os bispos formataram um subsídio, um estudo, que agora circula pelas paróquias, pelos grupos e comunidades. Após o texto fermentar com novas idéias, retornará às instâncias episcopais responsáveis em âmbito nacional.
Só então um documento oficial sobre a evangelização da juventude deve ser publicado pel…