quinta-feira, 7 de abril de 2011

Luto - Tragédia no RJ

Nesta manhã o Brasil e o Mundo amanheceu ouvindo a história de um atirador que entrou na escola do Rio de Janeiro,  que o Senhor Jesus tenha Piedade deste filho de d'Ele,  Jesus Filho de Davi tende Piedade de todos os Pais e Parentes dessas crianças. 


Direto do Yahoo: 

Atirador mata dez meninas e um menino em escola no Rio


A Polícia Civil do Rio de Janeiro corrigiu, no início da noite dessa quinta-feira, o número de mortos no tiroteio na Escola Municipal Tasso da Silveira, em Realengo. São 12 mortos no total, sendo 10 meninas, um menino e o assassino Wellington Menezes de Oliveira. O criminoso se suicidou, após ser atingido na perna por disparos feitos por um policial. Há ainda cerca de 13 feridos. 


As crianças feridas foram levadas para os hospitais Albert Schweitzer, Adão Pereira Nunes, Pedro Ernesto, Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia e Hospital da Polícia Militar. Ainda segundo a secretaria, assistentes sociais e psicólogos estão prestando atendimento aos familiares das vítimas.

O atirador, identificado como Wellington Menezes de Oliveira, de 24 anos, é ex-aluno da escola. Ele se matou com um tiro na cabeça, depois de trocar tiros com um policial. Segundo as primeiras informações, Wellington teria invadido a escola por volta das 8h30, e disparado de forma aleatória contra as pessoas que estavam no local.






Ainda não há informações precisas sobre o que teria motivado o crime. De acordo com a Secretaria Municipal de Educação do Rio, cerca de 400 alunos, divididos em 14 turmas, estudam no local no período da manhã. De acordo com os pais e vizinhos, muitos professores salvaram os estudantes ao trancar a porta das salas de aula e travar as maçanetas com cadeiras. Os alunos saíram apenas após o fim dos disparos. O prefeito do Rio, Eduardo Paes (PMDB), se dirigiu para a escola e já chegou ao local.



A presidente Dilma Rousseff está "chocada e consternada" com o episódio. Segundo o porta-voz da Presidência, Rodrigo Baina, a presidente conversou por telefone com o prefeito Eduardo Paes e o governador Sergio Cabral, para saber mais detalhes. Ela também determinou ao ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, que entre em contato com as autoridades locais para tomar as providências necessárias.

Direto do O Globo:

Carta de atirador de escola de Realengo diz que impuros não poderão tocar seu corpo sem luvas


RIO - O atirador Wellington Menezes de Oliveira, de 23 anos, autor do massacre na Escola Municipal Tasso da Silveira, em Realengo, afirma, em uma carta que foi entregue pela polícia a jornalistas, que os impuros não poderão tocar seu corpo sem luvas. Na carta, ele diz que quer ser despido, banhado e seco após sua morte, quando deverá ter o corpo envolto em um lençol branco. Ele pede também para ser enterrado ao lado de sua mãe.

Segundo Antônio Geraldo da Silva, presidente da Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP). Difícil é dizer qual seria esse transtorno: paranoide, esquizoide, borderline, narcisista, histriônica, obsessiva compulsiva ou antissocial? Para saber exatamente, só se algum médico tivesse examinado o atirador. Diferentemente de uma doença mental, como depressão, ansiedade, esquizofrenia, transtorno biplolar e outras fobias adquiridas e desencadeadas por algum fator ou acontecimento, no transtorno de personalidade a pessoa já nasce com o problema, explica Geraldo. E não há tratamento.
Policiais que estão na casa de Wellington, em Sepetiba, encontraram um cenário de destruição. Todos os eletrodomésticos e móveis estão destruídos. Há informações de que a placa de memória de um computador teria sido queimada. O atirador também teria deixado um segundo bilhete, encontrado no chão do quarto. Por orientação da chefe de Polícia Civil, Marta Rocha, todas os detalhes da investigação na casa serão dados pela Divisão de Homicídios.
Veja trecho da carta entregue a jornalistas:
"Primeiramente deverão saber que os impuros não poderão me tocar sem luvas, somente os castos ou os que perderam suas castidades após o casamento e não se envolveram em adultério poderão me tocar sem usar luvas, ou seja, nenhum fornicador ou adúltero poderá ter um contato direto comigo, nem nada que seja impuro poderá tocar em meu sangue, nenhum impuro pode ter contato direto com um virgem sem sua permissão, os que cuidarem de meu sepultamento deverão retirar toda a minha vestimenta, me banhar, me secar e me envolver totalmente despido em um lençol branco que está neste prédio, em uma bolsa que deixei na primeira sala do primeiro andar, após me envolverem neste lençol poderão me colocar em meu caixão. Se possível, quero ser sepultado ao lado da sepultura onde minha mãe dorme. Minha mãe se chama Dicéa Menezes de Oliveira e está sepultada no cemitério Murundu. Preciso de visita de um fiel seguidor de Deus em minha sepultura pelo menos uma vez, preciso que ele ore diante de minha sepultura pedindo o perdão de Deus pelo o que eu fiz rogando para que na sua vinda Jesus me desperte do sono da morte para a vida."
"Eu deixei uma casa em Sepetiba da qual nenhum familiar precisa, existem instituições pobres, financiadas por pessoas generosas que cuidam de animais abandonados, eu quero que esse espaço onde eu passei meus últimos meses seja doado a uma dessas instituições, pois os animais são seres muito desprezados e precisam muito mais de proteção e carinho do que os seres humanos que possuem a vantagem de poder se comunicar, trabalhar para se alimentarem, por isso, os que se apropriarem de minha casa, eu pelo por favor que tenham bom senso e cumpram o meu pedido, por cumprindo o meu pedido, automaticamente estarão cumprindo a vontade dos pais que desejavam passar esse imóvel para meu nome e todos sabem disso, senão cumprirem meu pedido, automaticamente estarão desrespeitando a vontade dos pais, o que prova que vocês não tem nenhuma consideração pelos nossos pais que já dormem, eu acredito que todos vocês tenham alguma consideração pelos nossos pais, provem isso fazendo o que eu pedi."
Veja na Integra a Carta:

Nenhum comentário:

Postar um comentário